INTO THE WOODS

Open Filteroptions

35 children are comitting to Climate Justice

04.10.2019

The academy took place on the 9th  of April with 35 students from the Municipal School Santo Antonio das Malvinas, in Salvador – Bahia. This was the 3rd and last academy at this school. Climate Justice Ambassadors from the first academy were called to start the day. At the end of the day, they had a similar perception from the previous ambassadors and also choose to present projects in order to save water and reduce the emissions of the school.  The school’s principle was present during the presentations and promised to help the children with their initiatives.

The trees were not planted the same day but on the 11th of April. The 101 new Climate Justice Ambassadors of all three academies in all planted 10 indigenous trees while the municipal secretary for Sustainability, Innovation and Resilience, André Fraga, was also attendant.

After the demand of the climate justice ambassadors, a community garden was promised to the school.

This activity is part of our Technical Cooperation Agreement with the municipality of Salvador.

You can find and download all photos taken here.

Do you want to become a Climate Justice Ambassador yourself ? Find academies in your area!


Terça-feira, 09 de Abril e um desafio de formar 35 novos Embaixadores da Justiça Climática. Chegamos na escola, no horário combinado, e essa foi a nossa terceira e última academia realizada naquela escola, então a equipe de funcionários já tinha se acostumado com nossas atividades e já entendiam quais seriam nossas necessidades, o que facilitou bastante o desenvolvimento. Nesse dia, tivemos um problema com voluntários, 4 dos voluntários que tinham confirmados desistiram em cima da hora o que nos deixou numa situação preocupante. No entanto, conseguimos nos organizar e fazer com que as atividades ocorressem bem.

Como já tínhamos realizado a academia na Escola Municipal Santo Antônio das Malvinas anteriormente, convocamos 2 embaixadoras da escola, e logo depois receberam o reforço de uma das colegas que também já tinha participado anteriormente. Após a apresentação, esquentamos o corpo com uma adaptação da brincadeira “Vivo-Morto”, que intitulamos de “Semente-Planta”, já deixando as crianças preparadas para o que viria durante o dia. Já engajadas e devidamente vestidas com a camisa, sorteamos as crianças em 3 equipes. Começamos o jogo do mundo, as crianças prestaram bastante atenção durante a explicação e desenvolvimento do jogo do mundo, mas infelizmente durante o treinamento de retórica, elas se desconcentraram um pouco. Diferente das últimas academias nessa escola, o lugar onde foi realizado a atividade foi em um auditório e não no pátio como de costume, contudo, tentamos atrair a atenção das crianças com a curiosidade que elas tinham acerca das figuras no jogo do mundo, o que fez efeito durante um bom tempo.

Finalizado o jogo do mundo, fomos para o almoço. Momento muito esperado de todos que estavam participando da atividade. Essa escola tem um refeitório separado para os professores, almoçamos com eles e logo após do almoço, aproveitamos para agilizar o material do período da tarde, tais como canetas, cartolinas, os certificados e etc.

Voltamos do almoço e as crianças estavam ainda mais animadas do que antes, algumas delas já estavam completamente engajadas com a causa, tanto que queriam plantar as árvores naquele mesmo dia. Aproveitamos esse momento e falamos como seria a etapa da tarde e demos as recomendações para o dia do plantio, que seria realizado dia 11 de Abril, junto com as outras duas turmas de embaixadores formados na escola.

Passados os avisos, hora de voltar a produzir! Iniciamos as Criações dos Projetos, muitas crianças queriam desenhar diretamente na cartolina, mas para estimular o desenvolvimento individual e evitar confusão com quem escreveria ou pintaria primeiro, reutilizamos os papelões que vêm como suporte nas embalagens com as camisas como rascunho e sugerimos as crianças que elas desenhassem no rascunho primeiro e fizessem na cartolina depois. Elas se sentiram confortáveis com isso e assim fizemos. Nessa etapa, por mais que as crianças estivessem comprometidas com o projeto, tivemos, novamente, problemas com a dispersão de atenção, mantê-las reunidas foi um verdadeiro desafio, mas conseguimos com a ajuda da equipe de funcionários da escola, visto que nosso quadro de voluntários estava reduzido.

O suporte da equipe da escola foi de muita importância para o desenvolvimento dessa academia, isso nos ajudou e facilitou o bom acompanhamento das atividades com as crianças. Logo, passado a idealização e planejamento dos projetos, fizemos um reforço das práticas de retórica, mostrando como se portar, como atrair a atenção do público e demos um suporte na explicação do projeto deles, e sem demoras, partimos para a tão esperada hora: a de apresentar os projetos. Coincidentemente, as crianças pensaram em projetos muito parecidos, eles envolviam reciclagem, reuso e aproveitamento da água e/ou formas de reduzir a poluição. No fim, por mais parecidos que estivessem, eles ajudaram a despertar um cuidado maior em relação ao meio ambiente.

Finalizamos as apresentações dos projetos, a Diretora Sheila Silva agradeceu a nossa presença e incentivou as crianças a desenvolver ainda mais projetos e ainda se comprometeu a dar suporte na realização de alguns daqueles projetos idealizados. Por fim, ressaltamos a importância de ser um Embaixador da Justiça Climática e como eles poderiam ajudar a salvar o mundo, logo após entregamos os certificados e demos as recomendações do dia do plantio. Tiramos uma última foto para recordar desse grande dia e nos despedimos das crianças.

No dia 11 de Abril, uma quinta-feira foi o nosso plantio. Nos encontramos na Escola no horário combinado, todos os funcionários já se encontravam cientes das atividades que seriam realizadas, neste dia pudemos contar com 3 voluntários e a presença especial do Secretário da Cidade Sustentável, André Fraga.

No momento inicial ao chegar na escola, revisamos e fizemos as recomendações de como seria realizado o plantio, para descontração realizamos a brincadeira “Semente-Planta” e logo após isto, separamos em grupos de 6 a 7 crianças, juntamente com os representantes da SECIS e SMED. Todo preparatório é realizado pelo pessoal da prefeitura antes do dia do plantio, então ao seguirmos para começar a plantar, já nos deparamos com o berço preparado para colocar as mudas, já deixaram próximo a terra que iria ser utilizada, o tubo guia da muda e os regadores para que as crianças possam regar após finalizar a plantação. Nesta escola plantamos 10 árvores de espécies nativas da Mata Atlântica, porém após o mapeamento realizado pela prefeitura anteriormente, havia se pensado num espaço maior, mas ao chegarmos lá, percebemos que o local também era utilizado pela comunidade como um campo de futebol, sendo assim, vimos que as árvores poderiam sofrer com possíveis boladas, ou até mesmo serem pisoteadas devido a quantidade de pessoas que passariam por ali, então, juntamente com os representantes da prefeitura que se encontravam lá, revitalizamos um local da escola que estava inutilizado e conseguimos realizar a plantação, sendo assim, as árvores não sofrerão consequências e comunidade não perderá seu lazer.

Após a atividade ser realizada, nos despedimos com a promessa de um dos representantes da prefeitura da implantação de uma horta nesta escola, as crianças se comprometeram a cuidarem das árvores ali plantadas, tiramos fotos para recordar deste dia e assim finalizamos mais um plantio.

Back